domingo, 23 de outubro de 2016

A lua...

Há momentos em que saio a olhar 
a lua, fico ali, imaginando que ela
tenha sua face escura, por não
poder estar repleta o tempo todo.
De repente, se sinta abandonada por
não ser sempre admirada...então, de
vez em quando se esconde!
Talvez, até a lua se canse de tanto
tentar iluminar as trevas...
São faces brilhantes e fases que se
mostram de forma intrigante, lindas!
Cada face, uma razão de existir, um
romance a exibir, sei lá...inspirar poetas!
E quando ela se aproxima mais, até
parece querer nos dizer algo, fica mais
iluminada. Talvez, tentando tirar de nosso
peito, o medo, a dura escuridão da estrada
e das coisas que se vão  incertas. Penso
que talvez, ela, assim tão imensa, apenas 
esteja ali  contemplando os céus, ou quem 
sabe, esteja sustentando a madrugada, para
levar as lembranças doces aos enamorados...
Nas noites enluaradas, saio, e me ponho a 
pensar, se a grande visão que prateia, também,
por estar  bela e cheia, vá ao meu amor 
pratear,  e encantar!
A lua nunca poderá se apagar, para não ir com
ela, os  sonhos, os beijos, o balanço do mar...
Sem o luar, perderíamos o rumo do coração !  


sábado, 22 de outubro de 2016

Anjos...

Frente,  verso,  avesso ou oposto, o que há
de bom e o  que há de certo...
Com identidades, mas sem rostos, com olhos
de luz! Só o que vem de dentro é permitido,
só o que não se confunde, sem atritos, com fé!
Somente  o  que é  supremo e trazido da paz,
só o que se grava ao fundo,  com liberdade...
Frente que absorve tudo, verso  da verdade, que
é  o inverso mudo...
Avesso que se expõe e que se opõe  num 
grito agudo!
Supremacia divina,  em vidas  que se repartem,  
em vidas que se iniciam, e em mortes que se 
anunciam, sem medos...
Vidas sem rostos, não se veem, mas  se esbarram, 
não se confundem, mas se misturam  no escuro, 
e se revelam.
Almas que passeiam no eterno e se vestem 
do  que é belo,  do  que  é  simples.
Assim são anjos,  descalços ou com chinelos!
Frente ou verso, avesso ou  opostos, sempre 
estão certos, não têm rostos, mas se identificam,
se afirmam, nunca oprimem, são leves...soltos!
Habitam nosso mundo rude, sem deixar marcas 
ou apegos, não se fixam em rostos, mas se definem,
e se expressam em fontes de  amor sincero.
Anjos! Um dia o seremos, sem rostos, porém, 
identificados pelo coração, em cada vez que ao
necessitado estendermos nossas mãos!

..

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Poemas de amor ?

Um poema que fala de amor, é um
poema que abraça, que te enlaça!
Um poema de amor te faz viajar e 
sonhar, te faz sentir acolhido...
Nos poemas, sejam pessoais ou não,
sempre trazem  vida e vibração.
Os poemas de amor, têm brilhos, festas
nos olhos! Tem marejar de saudades!
Então, poemas de amor também são
canções de acalantos e lembranças...
São pedaços de felicidades...
Num poema de amor, tudo pode, até 
paixão!
Mas, num poema de amor, também tem 
solidão e tristezas, que beiram a morte!
Apesar de tudo, com um pouco de humor 
e sorte, os poemas de amor tornam-se
fontes de esperanças,  e´quando nosso
amor vira amor de crianças, e nos faz
sorrir, e podemos desmoronar disfarçando
o olhar. Então, choramos e rimos, soltamos  
o nosso pesar entre frios do estômago e as
fortes batidas do coração...
Poemas de amor, são assim, loucos por 
uma emoção!




quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Confiar...

Todo amanhecer traz esperanças, nos atrai 
para o canto dos pássaros, e nesse instante,
tudo já passou...
Já passou o adeus,  as saudades, as tristezas!
Passaram-se as horas e o velho amor...
Quando vem o amanhecer, sua magia afasta o 
ruim, o escuro da alma, a dor.
O sol, nos chega por companhia e faz abrir a 
flor, trazendo  no vento os cheiros de renovo 
da fruta amadurecida, nos enchendo de sabor,
seus raios de luz!
Ao amanhecer, agradeço ao nosso Senhor...
Todo amanhecer tem um resto  de desejo que 
não se concretizou, mas o será!
É só esperar...é só confiar, e se assim não for,
simplifiquemos os desejos, esperemos novas flores,
novos frutos...

quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Almas...

Enternecidas estão, as almas que procuram
o encanto a todo o instante!
Enobrecidas, tornam-se, por atitudes felizes...
Escarnecidas estão pelas dores e sofrimentos
comuns aos viventes ...
Esmorecidas pelo cansaço,  que não desistem,
mas que desfalecem de quando em vez, que 
até adormecem sem perceber, e sonham acordados
 com os pés no chão...
Almas enternecidas somos, pela velocidade das
batidas do coração, envoltos nas emoções que
são provocadas pelas esperanças que carregamos.
Estilhaçados e quase sem ar, por duras batalhas,
seguimos juntando restos das próprias carnes, que 
reconstruímos, corpo a corpo, lutando as cegas, nos
descarnamos!
Oh, sim! Somos almas errantes,mas, protegidas pela
própria coragem...
Vamos adiante!
Enternecidos pela luz Divina e na eternidade que nos
encantam,sejamos todos, almas livres!