quinta-feira, 28 de maio de 2015

Nosso sol!

Venha deslumbrante claridade sobre nós, ó raio de sol!
Deslumbrante! Bronzeando a fronte, bronzeando a pele!
Venha sobre nós, dourando  o trigo, pairando nas finas
barbatanas dos peixes, em brilho de luz sobre as águas,e
prata por escamas...
Venha raio de sol, com seu fogo aquecer o nosso peito, o 
nosso leito, curando dores no rubor de tuas chamas...
Sol que ilumina o horizonte, dourando a serra em verde chão.
Sol que nos tira o fôlego com beleza,  tirando as tristezas
e nos trazendo emoção.
Sol que refaz  a alegria  quando manifesta o arco-íris. 
Dá vontade de colher as cores, num lindo laço e fazer festa,
lá no regaço dos beija-flores. Num pote de mel lamber o céu
refletido em vidro... Sol que desejamos sempre,  trazendo seu
calor, abafando o ar e liberando as chuvas no firmamento.
Sol!  Tão abençoado, que nos campos distribui -nos alimentos...
Ó sol , és o coração do Cristo  por toda terra se espalhando!

terça-feira, 19 de maio de 2015

Mal-me-quer...

Bem - querer, corteja e me acaricia as mãos,Mal -me -quer
não...
Bem -fazer é suave,cheio de paz e de amor.Mal me quer ?
Não,não me quer bem...mal me olha,mal me vê...mal me deixa!
Bem-querer é bondade,simpatia,sorrisos,até me leva às alturas.
Bem -querer,é pura aventura ...mas o mal ,me quer mal, só ilusão 
e paixão. É loucura de verão, é aprendiz de bem- querer,é tortura.
A paixão não escolhe rosto,mas quer beleza por alimento,tem sua
vaidade como  instrumento ,é quando mal te vejo.Mas o querer 
é benfazejo,me anima e se aproxima.Já o mal -me -quer,se despetalou
com os restos da margarida,esquecida no chão de um jardim...e o mal 
que mal me quis ,foi assim,mal -entendido, mal súbito,desfaleceu sozinho,
pois ,o bem- querer tão querido,se condoeu por mim.O bem ,feliz por ter
nascido, desfez o mal, agradecido!

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Razões...

Sem lógica,sem tempo,sem lugar. Um rápido e frio
episódio de audácia com liberdades...
Talvez ,depois de tantas exclamações e de lágrimas.
Dúvidas!Tantas inexperiências de afetos , talvez  por
não saber amar...Talvez o cansaço que espera sôfrego
a qualquer um, o  pavor de rejeição. 
A dor do outro dia, que não foi esquecida...É, talvez sim!
Talvez ,as complicações formadas sem querer ,valores desprezados,
o ato em si. O não poder explicar ,mas sentir as coisas como realmente
deveriam ser.Talvez a falta de abrigo,de um abraço,um sorriso,a fome!
Talvez! As dúvidas sempre em volta, tumultuando...
A sede de se  reinventar para o mundo, justificando meras e tolas
atitudes, que diárias, acabam sendo infantis  por estarem tão
equivocadas...sem profundidade! Talvez a falta temporária 
expressada em saudades,um patamar inatingível de sonhos...
É, talvez seja a oportunidade perdida que ultrapassa a 
a barreira do destino..."não tinha que ser!"Enganos!
Mas e os sonhos? Para onde foram? Teriam sido ameaçados 
pelos olhos do  futuro? Talvez os traumas se corrijam sozinhos,
um dia...Quiçá,um dia !
Os horrores da vida estagnados nas  lembranças,o Holocausto!
As sobras do amanhã...A escravidão por vaidades múltiplas!
O ódio feito esgoto,precisando desinfecção...Ganâncias apreciadas 
pelos subservientes...a ambição!
É , talvez caiba um coro de crianças cantando ,uma esperança.Talvez 
encontremos a perfeita razão,por elas!
Contudo, não sabemos qual   dimensão esse canto atingirá,mas é um
começo...Deveríamos ter novos começos em tudo,até nos avessos ,talvez
a saída para muitos discursos sem pé nem cabeça,onde os projetos do
progresso ,que já foram nossos,agora não mais...Acho que ainda podemos
forçar a tranca que sobre nós se levanta, talvez a  verdade seja mais que
audácia,seja liberdade,seja reconstrução!
Talvez ,quem sabe ainda há tempo de reinventar o amor...