segunda-feira, 30 de março de 2015

rudes...

Somos pontos  e somos  reticências... Somos 
termos casuais ou mesmo interjeições... Somos
as partes que integram uma história, um  verso,
ou privilégios  junto à multidão... e somos  o que
de mais fundamental podemos ser, a razão...
o porquê...ou, por quê? Porque somos eternos e
enigmáticos, porque simplesmente desejamos, não
estamos  expostos por acaso, mas estamos sempre
assentados  feito tijolos, misturados à poeira
das nossas provações.Todos estamos envoltos 
aos nossos sublimes ideais...somos mais... e
somos construções, somos puro prazer em ser...
Nossas convicções se estranham e às vezes 
tornam-se rudes, desmanchando-se em difícil
aceitação no frágil ego, nos desfazemos...
Somos o que somos, uma febril e entusiasmada
sina chamada vida, somos início, meio e fim.


domingo, 29 de março de 2015

Véu...

Estendes o teu  véu sobre  um leito de solidão
em  formosura ímpar...
Espalhas as tuas  lágrimas pelas alturas 
em suaves brilhos,num  som  ensurdecedor.
Teu véu,  rumo à cabeceira,se acomoda 
após torrentes de alegrias sem fim...depois 
adormeces num silêncio profundo ,de quem 
nunca houvera descansado.
Entre aromas de doçura e cheia de paz, se agita 
por uns instantes e de novo se  estendes para outra
queda,outro espetáculo  . Cachoeira, em quedas 
fostes criada para  carregar em teus  seios, a  Divina
expressão da liberdade,sois  a esperança da natureza,
nos mostrando em meio às pedras,a renovação...o teu 
caminho de leite a alimentar muitos ninhos.

Ao meu amor...

Fiz estas linhas para você,
você que por tanto tempo é,
por tanto tempo em que está
ao meu lado...
que é o meu campo de flores,
é o meu  amor -perfeito...
Você ,meu  cavalheiro  cheio 
de brandura,ternura e encanto.
Você ,que por tanto tempo está
embalando meu sono,quando me
abandono em teus braços...
Você é ,sim, o mais querido dos 
amores ,pois é real e puro,está onde
ninguém esteve antes,é o meu maior
aprendizado,quando tudo parecia
desmoronado,é você quem está aqui,
comigo,nesta viagem que um dia terá
fim,mas para buscar nova estrada na
eternidade...te amo!

quarta-feira, 18 de março de 2015

Não se cale...

Nem  sempre   nos comunicamos  pela vida,  da
melhor maneira. Geralmente  abraçamos o silêncio.
Às vezes, ficamos horas esperando e desejando de
algum modo, que nos chegue a inspiração,  a melhor 
palavra...Então, se iniciam  imensos questionamentos.
Não queremos  causar atritos, nem mesmo  a repetição
de coisas que já foram ditas, de coisas que já sofremos,
nos colocando do avesso, o que é só para nos nocautear
e  confundir...questionamentos de ideias mirabolantes, 
de  como salvar o mundo,  os órfãos e os animais...E quantas
vezes esses questionamentos nos levaram  a derramar
muitas lágrimas, por viajarmos em pensamentos  estranhos
à nossa  compreensão, ao nosso saber.
Nos comunicamos,  escrevemos, dizemos tudo e tanto,
que as aspirações de um mundo melhor acabam nos  dando
vontades plenas de ficar na introspecção, mas, sem
desistências... Nos comunicamos. Todos, sem exceção!
Fazemos alardes de um mundo sufocante e então gritamos,
nos levando à exaustão. Nos violamos, depois  nos partimos
em extremos e percebemos que poder falar,  mesmo que
em pequenos monólogos...O simples falar nos amplia a visão,
nos transporta ...e num fio de caligrafia  o amor se pronuncia,
podemos chamar de voz, interação, ou meio de comunicação.
O importante é dialogar  com ou sem volume, falar para 
que possamos explodir em  verdades e otimismos, num mundo
de tantas promessas  quebradas pelo egoísmo e pela solidão...

terça-feira, 17 de março de 2015

Ser modesto quando...

Quando a luta é desigual e  tudo em volta sugere  dúvida, e quando
pelos  sentimentos  de ciúme ou desdém,  nos atingirem.
Tomamos  medidas supostamente  arrogantes, somos confundidos
pelo que  um ou outro  julgue ser a verdade. Então,praticamente nos
obrigamos à certa defesa, daquilo que sempre acreditamos. Somos
levados a  contracenar com os adversários mais cruéis, os mais difíceis.
Somos obrigados a vestir armaduras,  para suportar as descargas de
ódios e intrigas...Como disse, luta desigual.
Invocamos atitudes,  que exemplificam  vitórias, conquistas e ânimos.
O vigor das palavras aparentemente ácidas, sugerem  pensamentos  e
reflexões,  extraídas  justamente dessa acidez, o que retrai  aos  que não 
pensam  semelhantemente. Arrogar, ou atribuir para nós, coisas criadas 
com  coração puro, significa que nos orgulhamos sim, de tentar algo que 
mexa, ou transforme pensamentos. Primeiramente em nós, nós que  somos
sempre os primeiros a visualizar as rotas da auto -crítica mais severa.Nós,
como o primeiro ato de  interiorizar as próprias dúvidas e aprendizados.
Humildade, não como falsa modéstia,  que quer representações e aparatos,
mas,  a virtude  de sermos humildes o suficiente  para nos reconhecermos 
incapazes, e percebendo as próprias fraquezas,  trabalharmos melhores cenas,
pois, a meu ver, esta vida é passageira e temos  que aproveitar  as paisagens 
do nosso mundo, e que ao  surgir das estrelas, possamos nos guiar na escuridão.



domingo, 15 de março de 2015

Flagelos ...

Entrecortando caminhos pelo  fascínio,
no excesso da loucura, fomos  seguindo...
Somando histórias,trazendo  a dor e a ira de
quem chora.
Na tortura, a insensatez, o medo...lágrimas puras!
A escuta, a força  bruta que transpassa
o peito com o fogo, que acelera como o efeito da
cicuta, a amargura... a triste luta, segredos!
Vemos  acervos escondidos em pó, guardados
de forma segura, sepultando corpos esquecidos
de  ultrajante bravura, e  o pó dos silenciados,
dos atormentados em figura. Veneno, doce mel
 e adoração,  sujeitos ao critério disfarçado e
honrado da temível ditadura... Com ou sem fardas,
deixaram sinistra lacuna.
As forças armadas representam a bagagem moral
de uma Nação. Não estão acima do bem e do mal,mas
fazem parte de uma estrutura onde a justiça e a razão
são criadas para  nos dar proteção na verdade e asas
por liberdade.

sexta-feira, 6 de março de 2015

O galo

No interior quando um galo canta,nos diz que já é hora,
nos diz que o sol rompeu a aurora e que as  brisas  foram 
transformadas em leve frescor! A noite foi-se embora...
O verde  inaugura nova paisagem resplandecendo em luzes.
A certeza da semente está estampada sobre a mesa,no café,
no pão...o trigo!
No interior  é assim, um festival de sabores,de alegrias há muito
já esquecidas, simplicidades... alimentos ,feitos de amor!
O fogão  não é um fogão qualquer, é um fogo preparado sem 
preguiça, é o trabalho do lenhador!
Quando o galo  canta é de felicidade pela vida ressurgida...e 
suas penas coloridas  pelo orvalho  são ativadas em brilhos
de sol ... Seu canto, diz que já é hora de mais trabalho...No campo 
é assim,suor do agricultor misturado ao cheiro do capim...é como
se vive no interior...Como se o tempo tivesse significado diferente ,
mostrando  de cada grão do milho, o seu valor.Como se a distância 
nos tornasse independentes...quando o galo canta, nem de longe  nos
lembramos do despertador, só ouvimos com ele a emoção, no toque
mais forte do coração!
No interior, não tem caipiras, tem gente hipnotizada pelas brasas
do carvão, acesas lá no fogão...Tem gente e perfume de rosas, ainda
em botão, feito as meninas faceiras com vestidos de algodão. Tem o
radinho de pilhas para inovar  informação... o porquinho  bem 
atrevido e a luz de lampião.No interior, tem de tudo,só não tem o
homem surdo para natureza em ação... e o dinheiro, coitados, só dá 
para o farelo do galo, que canta com gratidão!

Escolhas...

O que nos regenera, é sempre a fonte 
vinda da melhor escolha...vinda de 
uma segunda chance...
O que nos regenera, é a palavra refeita,
a paz  de uma noite bem dormida, a luz
que atravessa a  vidraça, compondo  um
novo espetáculo. O sol...dando-nos visão
menos atordoada, depois de um  mau 
momento, o perdão que se dá e se recebe...
O que nos regenera pela manhã, nos favorece
suporte para todo o dia, é a chance da melhor
escolha. É a noite bem dormida,  por saber-se
consciência plena do que é retidão e amor
pelos semelhantes...A melhor escolha nos 
regenera, quando a fé nos motiva o coração!
O que nos regenera  é o esquecimento do mal.

quarta-feira, 4 de março de 2015

A poesia...

Quando se fala em emoções, sentimentos... Todos nós, eu,
você , qualquer um que se disponha a fazer poesias e
escrever,  mas, isso tem que ser natural, vir de dentro...
Todos nós  temos maneiras diversas quando falamos e nos 
expressamos, conforme  o modo em que fomos educados.
A poesia gira por toda parte, vai mundo a fora, se expande...
Embora cada  poema traga  particularidades, marcas  e 
toques, que as identificam no tempo. Chega quase a ser corpo!
Somos a própria poesia ! Ao observarmos  as singelezas da
vida. Um pequeno riacho, uma nuvem no céu, um galho seco.
Até mesmo uma lágrima corrida, um sorriso. São convites 
para tornar um instante  eternizado. Em palavras e  embalos,
de romance ou luz... Somos luz! Todos nós precisamos  apreciar
a poesia , a arte...Somos pura arte, vindas do "Grande Arquiteto"!
Somos projetos especiais,  que se constroem sensíveis e arrojados,
mas, artisticamente moldados. Com o objetivo de aprender a fazer
e declamar  a própria vida, a própria realidade...Somos um grande
poema de Deus...

domingo, 1 de março de 2015

Direção...

Em nossas memórias ainda guardamos as duras imagens 
do horror, por destruições étnicas, editadas em revistas e 
jornais do mundo...
Guardamos amedrontados, sensações de energias,  vindas das
ações conjuntas,  derrubando  juventudes... e também, juventudes 
sem ética, usadas por idealismos ou sonhos sem escrúpulos.
Articulados, se digladiando no asfalto em vidros estilhaçados...
Pela história  foram marcados ...corpos, mutilações...silêncios.
Nervos, provocações e açoites por pouco,mas esse pouco, valia 
muitos R$0,20 centavos... E quantos refúgios literários, pelas 
noites...pelos becos!
Nossas memórias, mesmo curtas, não aceitam retrocessos, nem um 
só dedo de manifesto contrário à vida, nem mesmo o um triste aborto...
Evoluímos! Queremos paz, ao menos em maioria, educação e certezas!
Fato é, que nossa capacidade brasileira de esperar, nos traz receios do 
que virá. O ideal seria, se o Brasil livrasse da morte a juventude, abrigasse
a velhice em confortos, e carregasse no colo a infância com proteção e 
amor.
Nossas memórias guardadas, se fundem no hoje, mas somos melhores do que 
parecemos ser...só  queremos a nossa "Ordem e Progresso"...não precisamos da
Ditadura, mas de direção!