sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Dia após dia...

Guerrear as batalhas dos dias é o mínimo do 
que se  pode fazer para tentar nos mantermos
em pé, mostrando nossa fortaleza...
Passamos muito tempo  armando a melhor das 
estratégias, para provarmos o quanto somos capazes.
Guerrear as batalhas dos dias  envolve disciplina, 
astúcia e discernimento,não temos a melhor bagagem!
Digo isto, pois  ela se chama coragem e de forma alguma
queremos amanhecer derrotados, temos que trazê-la conosco,
é uma necessidade intransferível.O destemor é uma arma que 
transpassa qualquer obstáculo, qualquer escuridão...
Guerrear as batalhas dos dias, subentende-se à audácia e à  fé!
São batalhas contra tudo o que habita em nós, tudo o que 
se esconde e nos desmoraliza, tudo o que nos faz perdermos a calma.
São as batalhas que nos sangram o orgulho, nos põe  na boca um
amargo  que se demora e nos transforma. São as batalhas do coração,
são só nossas, são as derrotas das intransigências  que  carregamos...
Guerrear as batalhas dos dias, com verdade, é guerrear com a 
bandeira da paz  subordinando todo o ódio, ao respeito próprio. 
Tendo em mãos,  um lírio do campo para lembrar que somos simples 
criaturas de Deus!

sábado, 24 de janeiro de 2015

Sampa...Feliz Aniversário!

São Paulo,Sampa, terra da garoa! No seu espaço,nas praças,
sempre muita gente boa...
Gente que vem, gente que vai, gente  rindo à toa!
Muitos que aqui chegam querem ficar, se apaixonam
de imediato. Aqui, vem também os que estão de passagem,
do mato, da praia, do serrado e  do interior.
Também vem o turista,  o artista... Aqui tem o bom humor,o
sabor, o café na Paulista, o leite e o  tintureiro!Tem também
queijo mineiro...o doce da confeitaria, o padeiro!
Aqui tem um cheiro que paira pelas manhãs...é o cheiro do
do pãozinho francês, o pastel do japonês, a carne- louca,
e o cheiro da pasta de hortelã, logo cedo, na condução e
em tantas bocas! Tem o sabor da romã...o skatista...o Copam!
Sampa do sambódromo, dos teatros e dos Shows! O Ibirapuera,
o autódromo,  lembrando o Sena...e a grande correria do sábado,
a vedete   feijoada ,sempre  cheirosa  e bem acompanhada 
pela caipirinha danada!...O tutu de feijão, a mandioca frita!
Rádios sintonizadas, a moda,os Shoppings, a pizza, os helicópteros 
e carros de luxo, a faculdade de direito e o metrô, os taxistas...
Lembramos do marcadão! O lanche de mortadela, o prato feito!
Sem esquecer das vitrines,dos jardins com rosas amarelas...
É pura gastronomia! É  a feira livre! É a boemia...é a saudade!
Ah,como amo esta cidade!Seus prédios e seu progresso!
Aqui, ainda há sucesso para quem gosta de estudar....
São Paulo querida terra, que tentam desconjuntar! Mas,
és forte, és bela e glamourosa! Estará sempre à frente das 
gentes que são famosas!No socorro, na cultura e na prosa!
Uma mistura de temperos, do Norte ao Sul, brasileiros!!!
Sampa, te amamos de verdade!Suporte a crise das águas,
sufoque logo essas mágoas,das chuvas pelas enchentes,
receba de nós o abraço pelos anos que tem  pela frente!

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Ninguém...será?

Ninguém pratica o que diz, mas tenta, ou 
pensa que o faz....
Ninguém pratica a verdade, pois, ela dói 
demais!
Ninguém pratica a suportação das dores, 
porque  às vezes, as dores são cruéis e nos 
jogam na escuridão...
Ninguém pratica a tolerância, ela exige sempre 
humildade a mais...
Ninguém se reveste de sinceridade, pois o 
medo da traição é presente, é forte!
Ninguém se abre em abraços, pelo temor de  
serem roubados em seus passos...Ninguém pratica 
a real amizade, por não ter o poder da 
transparência  e por ter a flecha da 
desconfiança...
Ninguém pratica a profundidade dos bons 
pensamentos, por  habitar na desesperança.
Ninguém  que caminhe sobre a Terra se opõe 
à guerra, porque em si, carrega a falta 
de coragem.  O medo da morte nos deixa surdos.
Ninguém pratica o amor, ou caridade, só para não 
sentir-se fraco, entregue ao mundo dos sentimentos  
nobres, pois acreditamos que somos  pobres...vazios.
Pobres de espírito! Desprovidos para a grande 
viagem da paz. Ninguém ousa praticar mais vida...
Talvez, estejamos praticando pequenos ensaios...
e isso, exige responsabilidades demais!

domingo, 18 de janeiro de 2015

O Infinito mora em nós...

Por muito tempo,com o nó preso à garganta ,
me inclinei à obediência,me fiz fortaleza e fé.
Percorri estágios de aprendizados e enganos,
e quando não me enganei,simplesmente errei.
Sofri, como muitos sofrem...suportei os meus 
próprios infernos e busquei um outro céu,
daquele  que me incluiria, mesmo quando as 
faces das trevas me revelassem falhas... e  assim 
me  coloquei, em suave despertar,nesse céu tão 
belo e sem hostilidades,cheio dos clarões, de um
futuro a explorar outros encantos...me enterneci,
me vi ausente de tantas causas infrutíferas,que me
surpreendi ao notar quão poderoso é o infinito que
mora em nós,que reaviva por si só,sem que precisemos 
rastejar na grande fome e sede do existir...aprendi os
caminhos dos raios do sol que iluminam quando de 
alguma forma nos perdemos...
É preciso coragem,para o novo,para desatar o nó preso 
à garganta...

sábado, 3 de janeiro de 2015

O inesperado...

O inesperado chega, surpreende e  dificulta.
O inesperado faz o chão sair dos passos, faz 
o medo, o êxtase...
No inesperado  tudo pode, tudo é simples 
questão de momento...simplesmente fato!
O inesperado é às vezes cruel e  enigmático...
É  também  assustador e te pega de 
jeito num piscar de olhos!
Num ato descontrolado, numa injúria sem causa ,numa
rebeldia, numa tempestade, uma avalanche ...até 
mesmo uma enchente, um incidente!
No inesperado tudo pode! A surpresa está justamente 
no que não se vê, não se espera...Não se espera ver uma
estrela cadente, ela cai de repente!
O inesperado  acontece sem uma lógica aparente,
mas  assim, como  parte dos Mistérios de Deus. Na morte,
sem a certeza de um retorno, na saudade que não combinamos,
no adeus de quem se vai para sempre... inesperadamente!